Impressões e expressões sobre o encontro de dois pequenos aprendizes

os-dois-amigos

Ao longo de toda a nossa existência, presenciamos situações indescritíveis e momentos memoráveis. Quadros vivos que só podemos guardar nas lembranças, nenhum registro (seja a captação de imagens ou vídeos) conseguiria expressar a realidade vivenciada. Emolduramos na alma – para quem teima em romantizar a vida e perfumá-la diariamente. São esses pequenos instantes em que você toma a pílula da felicidade e nem sabe. Quem tem filhos sabe que a nossa motivação diária está em vê-los se desenvolver e observá-los evoluir, trilhando o próprio caminho – mesmo sabendo que eles nem imaginam o que lhes espera pela frente.

Desde que eu tive meu filho, cada dia é uma nova descoberta, novas fases e alegrias. O aprendizado deles nos torna mais sábios, pois não somos mais meros expectadores da vida, somos aprendizes disfarçados de conselheiros, professores, educadores e amigos. Sabemos que nada sabemos. Aprendemos junto com eles. Continuar lendo

Para onde o vento nos levará?

gedc2276.jpg

Dizem que para uma pessoa se sentir completamente realizada na vida, ela precisa plantar uma árvore, escrever um livro ou ter um filho. A barrinha da felicidade fica completa se conseguir realizar todos os três objetivos até o fim da vida. Dizem? Será que ainda dizem isso? Há trinta anos atrás essa máxima podia até ser verdadeira, mas hoje, a Geração Z ou a Geração Eu, Eu, Eu (The Me Me Me Genaration, segundo a classificação da Time Magazine) está buscando novos caminhos e uma forma diferente de ver e viver a vida.

Deixar uma marca para a posteridade não é mais interessante como antigamente. O lema agora é aproveitar ao máximo o presente, explorando tudo o que a vida – e o dinheiro – podem oferecer. Será que pensam no futuro? O que farão quando ele chegar? Olho para o meu filho de três meses e vejo-o se desenvolvendo tão rápido… “Sinal dos novos tempos, presságio, influência das novas tecnologias ou são as músicas clássicas que ele ouve desde antes de nascer”, dirão os avós. “Nada disso”, respondo. “Mozart não levará o crédito”. Como será a vida dele no futuro? O que estou plantando para que ele possa colher?

Continuar lendo

O dia ensolarado lá fora e o mundo do “Faz-de-Conta” aqui dentro

banco-parque

 

Dia ensolarado. Céu azul. Algumas nuvens brancas pintando as bordas do quadro perfeito. Sento no sofá sentindo a gostosa brisa que entrava pela janela do apartamento. De repente ela chega, pulando de alegria e cantando, explicando que hoje é um dia fantástico, estupendo, maravilhoso e que ela está muito feliz. Ao perguntar o motivo de tanta alegria, ela responde:

– Você não sabe? Não acredito!

– Hoje é o dia do seu aniversário e eu esqueci? – respondo.

– Não, não. O dia do meu aniversário não é um dia tão alegre assim. Hoje é o dia do aniversário dela! A mais perfeita criatura deste mundo! – continuou.

– Nossa, juro que pensei que o aniversário de sua mãe fosse somente no final do ano. Minha memória já não é a mesma… – estava confusa.

– Nãaaao… Hoje não é aniversário da minha mãe. – ela respondeu, quase nervosa.

– Ué, quem pode ser mais especial para você do que sua mãe? – me indignei.

– Caramba, você está por fora. Hoje é aniversário da super mega diva Fran Strofagon. A melhor cantora e dançarina que eu já vi em todos os meus doze anos de vida!

– Nossa, ela é tão boa assim? – insisti. Continuar lendo